Document your life - Agosto


Agosto foi um mês infinito muito lindo! Além de eu finalmente completar meus 18tão (sim, é ridículo dizer isso, mas é muito legal também! haha), comemorei cada diazinho na presença de pessoas muito queridas! Sério, as vezes nem parece real o quão bacana minha vida está agora... Mas chega de papo furado: dá o play nesse vídeo e confere um pouquinho dessa loucura que foi meu agosto!

Sorteio de 2 livros!

Yay! Pra encerrar Agosto (o melhor mês do ano, já que eu nasci nele hahah) com chave de ouro, decidimos criar uma promoção bem bacana para os leitores do blog!

Se liga nas regrinhas:

1) Curtir a página Primeiro Livro
2) Compartilhar a imagem da promoção (essa aqui!) publicamente
3) Clique em "QUERO PARTICIPAR!" nesse link

Seguindo essas duas regrinhas você já estará concorrendo aos dois livros! Caso o sorteado não cumpra alguma das regras será automaticamente desclassificado!!! Lembrando que o sorteio será realizado no dia 12/09/2015 e o primeiro sorteado poderá escolher entre os dois livros, sobrando o outro para o segundo. Só podem participar residentes no Brasil, ou quem possua endereço de entrega no país. Após contactados pelo Facebook os ganhadores tem até 48hrs para responderem com endereço completo.

# Ambos os livros já foram lidos por mim e podem conter alguns grifos e assinatura na primeira página. Estejam cientes disso!

Resenha: Princesa Adormecida


Que saudade eu estava de gravar essas vídeo-resenhas, vocês nem imaginam! Dessa vez falei um pouquinho sobre o livro "Princesa Adormecida", da Paula Pimenta, que foi uma das minhas leituras de férias. Acho que perdi um pouco do jeito de gravar vídeos, mas vocês podem ser lindinhos e fingir que não dá pra perceber, ok?!
Dá o play!

De coração leve


Desfiz algumas amizades no Facebook, exclui algumas pessoas da vida real. E, por mais que durante alguns dias parecesse que eu nunca fosse superar, hoje não tenho seu número no Whatsapp, nem você no meu coração. Às vezes a gente precisa disso, sabe? Limpar a alma, jogar fora tudo aquilo que nos faz sofrer. Faz mal cultivar sentimentos negativos, lembranças pesadas...

Naquela tarde de domingo, enquanto a gente passeava de mãos dadas e você me abraçou, me prometendo que seríamos sempre assim, "sempre nós dois, pelo mundo inteiro, por toda a eternidade, viu morena?", eu acreditei. Acreditei naquele dia, e por muito tempo tempo depois. Acreditei nas suas desculpas por duas, três vezes. Acreditei quando disse que só havia espaço pra mim no seu coração, e até mesmo quando fizemos planos de viajar o mundo dentro de um trailer, comendo só tortinha de limão - minha preferida. Acreditei que no mundo, só havia você pra mim. Acreditei em cada um dos seus olhares, e pior ainda, em cada um dos seus "eu te amo"s.

Você me fez acreditar num conto de fadas e depois, como quem sequer lembrasse da minha existência, destruiu todo um castelo de sonhos; como num passe de mágica. Parecia cena de filme da Disney: o príncipe encantado, no final, não passava do pior vilão.

Por muito tempo me culpei, sabe? Era como se eu merecesse ser julgada por me iludir tão fácil, por cair em cada uma das suas conversas. Mas ontem, pensando lá com meus botões, percebi que se alguém teve culpa nessa história, esse alguém não era eu. Me fez um bem danado virar as costas, enterrar todo o passado e respirar fundo. Caminhar é muito mais difícil se você estiver com o sapato errado, viver com um coração pesado, também.

Dois garotos se beijando

“A liberdade não é só uma questão de votar e casar e beijar na rua, embora todas essas coisas sejam importantes. A liberdade também é uma questão do que você vai se permitir fazer.”


Tariq, Cooper, Ryan e Avery, Peter e Neil, Harry e Craig. São oito os protagonistas de um livro que  busca passar uma mensagem essencial: o amor, acima de qualquer circustância, deve ser livre para acontecer.

Tariq e Cooper são vítimas de uma sociedade homofóbica e machista, enquanto um foi violentado na rua após sair de uma pizzaria, o outro enfrenta o drama e a dificuldade de se assumir para a família. Ryan e Avery acabam de se conhecer num baile gay e, aos poucos, parecem dar início a um relacionamento. No entanto, Avery esconde um segredo e isso pode pôr a confiança de Ryan em pauta.

Peter e Neil são namorados há algum tempo, mas começam a passar por algumas crises e precisam dar uma direção ao futuro deles como casal, ou não. Harry e Craig, com o objetivo de provocar o questionamento de uma sociedade hegemônica, decidem quebrar o record do mais longo beijo do mundo. 32 horas, 12 minutos e 10 segundos.


“O amor é tão doloroso; como podemos desejar para alguém? E o amor é tão essencial; como podemos atrapalhar o progresso dele?”


Narradas de forma simultâneas, as histórias dos oito personagens seguem caminhos diferentes, mas ligam-se pela sexualidade de cada um. Demorei a entender que O Narrador eram as vozes dos que morreram de AIDS, o que me deixou um tanto confusa no começo. Mas com todos os livros do autor me sinto assim: é como se existisse uma barreira invisível, mas a partir do momento que a gente consegue ultrapassar, não há mais volta: você já está preso na trama.

Numa escrita leve e linguagem simples, Levithan sabe conduzir e envolver o leitor. É como se a gente conhecesse os personagens, tamanha a ligação que criamos. Eu sentia que a qualquer momento poderia entrar no livro, dar um abraço bem forte no Cooper e dizer "calma, vai ficar tudo bem. Respira fundo e tente manter a calma." É um livro extremamente emocionante, que nos faz refletir sobre todo esse caos em que vivemos. 

Não dá pra acreditar que, até os dias de hoje, existam pessoas que condenam tipos de relacionamento que diferenciam-se do padrão, do que eles "consideram correto". Recomendo muito a leitura de Dois Garotos se Beijando. Muitas vezes nós estamos limitados a um só pensamento e é essencial termos outras visões de mundo. Um livro que me deixou sem palavras, mas que me fez sentir o mundo. 

“Os primeiros encontros bons são mais que historinhas. São primeiros capítulos. Em um primeiro encontro bom, tudo é primavera E, quando um primeiro encontro bom vira um relacionamento bom, a primavera perdura. Mesmo depois que acaba, pode ainda haver primavera.”